5 motivos para NÃO aceitar a episiotomia (o “pique” do parto normal)


Vamos falar de episiotomia?

A episiotomia é uma incisão efetuada na região do períneo (área muscular entre a vagina e o ânus) para ampliar o canal de parto e prevenir que ocorra um rasgamento irregular durante a passagem do bebê. É geralmente realizada com anestesia local. (Wikipedia)

A definição em si já é equivocada. Prevenir o quê? Digam para mim. Achismo não me conforta. Quando ocorre uma laceração natural, grande parte não chega nem aos pés de uma episio.

Esquentou os ânimos? Vamos aos motivos.

1. Mutilação

Sim, “o pique inocente” é uma mutilação da vagina da mulher. O corte é uma lesão perineal grave. Alguns bons pontos são necessários para recompor a coisa toda.

“…quando realizada sem indicação constitui uma verdadeira mutilação genital feminina, acarretando danos à saúde da mulher.” Wagner M. Episiotomy: a form of genital mutilation. Lancet. 1999;353:1977-8

As evidências científicas atuais não indicam que ela seja feita de rotina, bem como a OMS.

Dra. Melania Amorim, conforme abaixo, demonstrou seus resultados após 13 anos sem realizar NENHUMA episiotomia.

Veja Estudando episiotomia e Série vídeos número 1: episiotomia em seu blog. Recomendo a leitura fortemente.

grafico episiotomia 1

grafico episiotomia 2 (1)

2. Dor e incômodo no pós-parto

A episio gera maior desconforto e dor.

Muitas mulheres que sofreram o procedimento relataram forte incômodo no pós-parto, e obviamente, o risco de infecção está associado. Quanta dor e trauma não seriam evitados se a episiotomia não fosse feita? Quantos períneos íntegros poderíamos ter? Muitos, muitos, muitos. E a frase “lavou tá novo”, faz todo sentido nesse caso.

3. Não está associada a nenhum benefício

Sim, não há nenhum benefício comprovado cientificamente pelo uso desse procedimento.

“Em revisão sistemática publicada em 2005, Hartmann et al. avaliaram 26 artigos de 986 estudos rastreados em pesquisa no Medline, na Biblioteca Cochrane e no Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature.Os autores concluíram que a episiotomia não apresentava quaisquer benefícios, associando-se a danos consideráveis como dor, maior necessidade de analgésicos e lacerações perineais graves. Na Discussão, comentam que “na ausência de benefícios e com um potencial para malefícios, um procedimento deveria ser abandonado” 42: Sugerem que uma meta razoável e imediata seria reduzir a taxa de episiotomias para menos de 15%…” Hartmann K, Viswanathan M, Palmieri R, Gartlehner G, Thorp J, Lohr KN. Outcomes of Routine Episiotomy – A Systematic Review. JAMA. 2005; 293: 1-8.

A citação fala por si só. Se algo não traz benefícios comprovados, qual a necessidade? Baseado em boas evidências, gostaria de uma resposta daqueles que a fazem de rotina.

4. Não deve ser feito sem consentimento da mulher

Há muitos relatos dizendo que “foi feito sem meu consentimento”. Qualquer conduta médica no parto deve ser discutida com a parturiente. Ela tem o direito de escolher. Eu mesma, durante início da minha gestação, sondei a minha médica à época, e escutei horrores dela. Após escutar tudo, respondi: “Dra., mas veja bem, as evidências dizem x y z, e a senhora não me mostrou absolutamente nenhum motivo plausível baseado em nada para a episiotomia” . Nem preciso dizer que quase fui jogada pela janela e não voltei nunca mais.

Vamos tentar mudar isso? Que tal levar evidências para discussão? Medicina baseada em vidência está cheio por aí. E muito cuidado se você escutar: “Olha, se for necessário eu vou fazer…” .

Discuta, reflita, estude. Se após isso você achar que deve ser feito, ok, escolha sua. Meu respeito. Seu corpo, suas regras.

5. O ponto do marido (isso “non ecziste”)

Não vou nem entrar no mérito do machismo, vou pular esta parte porque me dá até coceira. Dizer que se não fizer episio, a vagina ficará larga e o playground do maridão vai estragar, dói, dói na alma. Feminismo pra quê né gente?

Após o parto a vagina volta ao seu normal, sem a menor necessidade de “ponto do marido”, ponto a mais dado durante a episiorrafia (sutura do corte). Ela é constituída de músculos e como tal, tem elasticidade. Por um acaso alguém já fez alongamento e depois saiu por ai todo “largo”? Não né. Por qual motivo isso aconteceria justamente com nossa amiga vagina?

O resumo disso é: estudem e questionem. O parto é seu!

Respeito à fisiologia, respeito à mulher, respeito ao bebê.

perineo integro

 

alinekisALINE KIS tem 26 anos e foi através de um parto natural – onde ela renasceu e se reencontrou – que recebeu a Laura nos braços. É formada em Ciências Contábeis mas repensou toda a vida após a maternidade e tornou-se doula através do GAMA (Grupo de Apoio à Maternidade Ativa). Aline atende Grande São Paulo e é possível encontrá-la através do e-mail: alinekisdoula@gmail.com. Não deixe de seguir a página dela no Facebook.

 

POSTAGENS RELACIONADAS

gravida
Preparando o períneo para o parto normal
May 15, 2016
dor
A dor do parto e o terrorismo
November 29, 2015
maesolo
“ANTES SÓ DO QUE MAL ACOMPANHADA” – considerações de uma mãe solteira por opção
November 14, 2015
doula
Quem é a doula?
October 28, 2015
disfuncao1
Disfunções sexuais femininas
October 07, 2015

5 Comentários

Rosangela Oliveira
Responder 31 de outubro de 2017

Tive 3 filhos e todos de parto normal de todos fizeram o pique,no meu segundo parto doía tanto que eu não consegui ir ao banheiro para evacuar, quando urinava era uma dor insuportável fiquei 7 dias assim.
Já no terceiro foi pior enquanto eu estava sentindo uma contração a obstetra falou que ia dar um pequeno corte para ajudar o bebê a sair, não tive sem tempo de falar que não, ela fez assim mesmo nossa que ardência que deu misturado com contração foi horrível precisou me dar 8 pontos novamente não consegui ir ao banheiro para evacuar e urinar era uma tortura .
Por falta de orientação muitas mulheres não sabe que isso não é preciso fazer ,a desculpa que os obstetras falam que é para ajudar o bebê, mas não explicam o que vem depois a dor o encomodo.
Agora com divulgação será melhor para que outras não passem por isso.

Ana
Responder 1 de outubro de 2017

Meu parto foi vaginal,eu na época tinha 19 anos,foi em 2006,fizeram a episiotomia,eu não sabia que eu podia escolher,muita falta de informação,achava que fazia parte,mas graças a Deus estou livre da ignorância,Estudo Fisioterapia,conheci a Fisioterapia na saúde da mulher,uma área linda,dentro dessa área maravilhosa,existe uma massagem perineal ela é preventiva contra a episiotomia,comprovada com estudos,se eu tivesse conhecido antes,teria evitado esse mal

antoniaalmeida
Responder 30 de abril de 2017

Ja vou para o 3 filhos
Sera que vai ser necessario o "pique" dnovo
Pois nessa gravides apareceu muitas varizes que me encomodam muuito
E passa por onde fez o pique. E agora sera que pode fazer dnovo tem algum perigo

Julia
Responder 7 de janeiro de 2016

A episio não é no perineo a laceração natural é q é, ela q causa mais desconforto no pos parto e a episio só é necessária se a mulher n tiver elasticidade suficiente normalmente no 1 filho

Fabyana Teixeira
Responder 6 de dezembro de 2015

Pois é nunca soube disso aos 23 anos tive minha filha de parto normal e sim eles fizeram o "pique" mas não me perguntaram nada... parto normal é maravilhoso porém senti sim os incómodos do pique e dor tbm ardência na hora de urinar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com "*"