É possível amamentar tendo prótese de silicone?


A cirurgia de colocação de prótese de silicone é uma das mais procuradas em estética no Brasil. Uma das grandes preocupações das mães é com a amamentação dos filhos. Aquelas que não pensavam em engravidar e colocaram prótese de silicone nos seios têm muitas dúvidas e preocupações sobre o assunto.

Para tirar dúvidas e sanar inseguranças de futuras mamães, a cirurgiã plástica Brunna Salvarezza, que tem clínica na Barra da Tijuca, elaborou um guia com dicas e orientações.

Dra. Brunna é responsável pela área de reconstrução de mama no Hospital dos Servidores do RJ.

1. Há contra-indicações à amamentação para as mulheres que possuem próteses de silicone?

O assunto assusta muitas mulheres e a notícia boa é: não existe nenhuma contra-indicação para as mulheres que já possuem prótese de silicone em relação à amamentação! A colocação de prótese mamária não altera nem afeta o parênquima mamário, ou seja, a glândula responsável pela produção do leite fica intacta. Sua capacidade de produção e seus sucos de liberação se mantém íntegros e portanto sua capacidade de amamentar não é afetada.

2. Há alteração na produção de leite das mulheres que têm a prótese?

A produção de leite nas mulheres que apenas colocaram a prótese não muda em nada, desde que tenha sido respeitado o tamanho correto e que a cirurgia tenha sido bem executada. Em pacientes que realizaram cirurgias de redução mamária ou mastopexia, que é a elevação da mama, a situação pode ser diferente. Nessas duas situações é necessária a ruptura do parênquima e a retirada dele, com pontos na sequência – o que pode comprometer o sistema como um todo. Nesses casos dependerá muito da técnica de cada cirurgião.

3. Existem alguns cuidados especiais na cirurgia de colocação da prótese para que essa mulher possa vir a amamentar seu filho?

O fundamental  para quem quer preservar sua capacidade de amamentação é preservar o parênquima mamário. Para isso, o cirurgião plástico precisa ser bastante consciente na escolha de um volume de prótese adequado para a paciente. Tamanhos exagerados irão comprimir o parênquima mamário e alterar seu funcionamento. É fundamental conversar muito a respeito com o cirurgião durante as consultas.

Além disso, é de extrema importância que a cirurgia seja bem executada, sem hematomas ou infecções. Esses fatores também podem danificar a glândula e comprometer seu funcionamento.

4. Há algum preparo especial para as mães que têm a prótese de silicone antes da amamentação?

A mama que vai amamentar precisa ser exposta ao sol, para que o bico se torne mais resistente à sucção do bebê. Mas esse cuidado é independente da existência da prótese de silicone. Outra questão fundamental é o uso de sutiã durante toda a gestação e durante a amamentação. Esse sutiã precisa ter alças e lateral largas para garantir boa sustentação.  Esse cuidado vai evitar grandes excessos de pele e grandes quedas após o período. Sempre que houver dúvidas, a paciente deve consultar seu cirurgião.

5. Que dicas dá para aquelas mulheres que querem amamentar e já possuem o silicone? 

Em mulheres que já possuem o silicone, o ideal é se comportar normalmente, seguir todo o processo com naturalidade conforme orientação do seu ginecologista e esperar que tudo ocorra bem! Cerca de 3 % das mulheres não amamentam e as causas são múltiplas… Teremos que avaliar cada caso para decidir o que poderia ser feito para auxiliar.

6. Para aquelas que não têm a prótese de silicone e querem colocá-la mas também pretendem engravidar, qual a recomendação?

Para mulheres que pretendem engravidar em um intervalo menor de um ano costumo orientar para que esperem e coloquem sua prótese após a gestação. Se o intervalo for maior, não existe problema nenhum em realizarmos a cirurgia antes. Teremos tempo suficiente para cicatrização e reestabelecimento de todo o processo.

brunnasalvezzaBRUNA SALVAREZZA é graduada em medicina pela UFRJ e tem dez anos de sólida formação. Fez residência em Cirurgia Geral no Hospital dos Servidores do Estado, Pós Graduação pela UGF em Medicina e Cirurgia Estética e Residência em Cirurgia Plástica no Hospital dos Servidores do Estado. Foi convidada pela direção do Hospital dos Servidores do Estado para ser professora na formação dos residentes de cirurgia plástica da instituição.
Em abril de 2015 ficou no MD Anderson, o maior hospital de cirurgia oncológica dos EUA, onde atualizou-se em reconstrução de cirurgia plástica pós-ressecção de tumores em geral, com foco para reconstrução de mama pós-câncer.

Entrevista realizada pela jornalista Simone Barros em maio de 2016

POSTAGENS RELACIONADAS

como amamentar quando volta ao trabalho
Como fica a amamentação quando a mãe volta a trabalhar?
September 24, 2017
Amamentação
Mitos da amamentação
April 03, 2017
amamentacao
Por que é tão difícil amamentar?
March 30, 2017
escolinha doenças
Desde que entrou na escola, meu filho só fica doente
September 08, 2016
ensaiofamilia8
Porque quero ter mais filhos
August 11, 2016
amamentacao
Curso Avançado em Amamentação
July 19, 2016
mulheraprisionada2
Pelo direito de ser gente
December 17, 2015
capa
Maternidade e culpa
November 11, 2015
bebes3
A amamentação, a sororidade, os grupos de apoio
October 04, 2015

1 Comentários

Cristiane Amorim
Responder 2 de junho de 2016

ótimo e claro!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com "*"