Gravidez é uma m…!


Antes que me joguem pedras: eu sei que maternidade é demais, apesar de todos os pesares. Ser mãe é a coisa que eu mais amo na minha vida e organizei absolutamente tudo ao redor disso, porque eu acho que é assim que tem que ser.

gravida

Mas a gravidez é toda uma outra coisa. A gravidez e a maternidade são coisas diferentes. Para muitas mulheres, a gravidez é um pesar. Um mal necessário para chegar à maternidade.

Reclamar, entretanto, vira uma espécie de pecado. Veja bem, a gravidez é sagrada. A maternidade é divina. Se nada para no seu estômago e você se sente doente o tempo todo, o dia inteiro, faz parte. É lindo. É padecer no paraíso. SÓ QUE NÃO. Eu já falei sobre isso AQUI e AQUI.

Quem me acompanha no Instagram, sabe que as últimas semanas têm sido puxadas em virtude da gravidez. Comparada à gravidez da Catarina, eu estou no céu. Mas isso não quer dizer que eu esteja BEM. Sempre longe disso. Eu passo o dia inteiro muito enjoada. Preciso comer o tempo todo pois se o estômago estiver vazio, eu vomito. Aí se vomito, fico bem pior. Ando morrendo de sono, despencando por aí. Meu cérebro não funciona e, para escrever este texto, estou lendo e relendo tudo quinhentas vezes – e tenho a mais absoluta certeza que haverá milhares de erros de coesão. E na vida em geral, parece que passou um trator em cima de mim. Tem dias que são melhores, tem dias que são piores. Tem momentos no dia em que estou melhor, tem momentos no dia em que estou pior. Nada fora do esperado. Absolutamente comum para 80% das mulheres que já ficaram grávidas. Na verdade, é mais comum passar mal do que não passar na gravidez. E acredite: se você é uma daqueles sortudas que não sentiu absolutamente nada durante a gravidez, só se sentiu mais linda e radiante, a realidade não é assim para a maioria das pessoas. Então vale sempre a regra da empatia, né?

E é quase impossível para mim não falar sobre isso: é a realidade. É o meu dia-a-dia. É o que eu estou vivendo hoje. Daqui a pouco eu provavelmente (espero!) estarei vivendo uma realidade onde a gravidez é mais divertida, com o cabelo mais lindo da minha vida e a diversão de comprar enxoval. O segundo tri pode ser lindo! Mas este é o futuro. O que tem para hoje é muita maquiagem tentando disfarçar a cara de morta-viva.

E aí que se tem uma coisa que eu NÃO VOU fazer nesta gravidez é me sentir culpada. Porque na primeira, eu me sentia. Muito. Eu não entendia como eu podia ter tentado TANTO, ter movido tantos mundos e fundos para engravidar, ter chorado tanto a cada teste negativo e no final, odiar a coisa toda. Eu sabia que amava a minha filha – e que aquilo era tudo uma outra coisa. Mas eu não aguentava mais aquela sensação eterna de doença. Minha pressão normal era 6×3 e eu precisava de ajuda até para levantar do sofá e ir ao banheiro. Eu não conseguia dirigir. Tinha dia que eu não conseguia levantar da cama pois tudo, absolutamente tudo, girava. Mais de uma vez vomitei dentro do carro, em cima de mim e do Gustavo, tentando chegar ao trabalho. Eu tive absolutamente tudo. E cada vez que alguém dizia perto de mim que morria de saudade da barriga de grávida, eu só conseguia respirar aliviada. Eu NUNCA tive saudade de estar grávida. Eu nunca quis ficar grávida de novo. Eu quis outro filho – e, de novo, são coisas completamente diferentes.

testa marcada

Estava trabalhando, dormi e nem percebi. Devem ter sido uns 5 minutos, mas deu tempo de sonhar. E acordei com a testa marcada, claro. #glamour

Não vou me sentir culpada porque estar grávida é uma m! O lindo milagre da vida (e não estou sendo irônica) exige que seu corpo inteiro se adapte. Não precisa de muitos neurônios para entender que fabricar um outro ser humano possa ser algo complicado.

Claro que as pessoas não entendem. HAHAHAHAHA Quem foi otimista o suficiente para achar que elas entenderiam? No bingo da gravidez, o que não faltam são afirmações/conselhos/pitacos capazes de acabar com seu dia.

  • Você só reclama.
  • Você é uma má agradecida. Tanta gente querendo engravidar!
  • Seja forte! Que frescura!
  • Você precisa se alimentar melhor!
  • Ih…já está assim? Imagina daqui 2 meses.
  • Aproveita porque essa é a parte boa! Você vai ver quando nascer…
  • Você precisa lutar contra isso!

(Essa é uma das minhas preferidas porque pressupõe que é psicológico. Se o cara está com infecção na garganta, ninguém diz que ele tem que fazer um esforço para melhorar ao invés de tomar remédio, né?) 

e a cereja do bolo:

  • GRAVIDEZ NÃO É DOENÇA.

Não mesmo. É pior. Doença passa com uns 3 dias. Uma semana se for algo ruim. Gravidez pode demorar até 42 semanas. QUA-REN-TA E DU-AS.

Caro marido/amigx/parente/conhecido/leitor(x): ao invés de dar um recadinho desses, tente oferecer um pouco de empatia à futura mãe. Um ombro, uma palavra amiga, um docinho, um agrado, um abraço, um cuidado ou seu respeitoso silêncio.

Às vezes, a grávida só precisa reclamar um pouquinho para desabafar antes que a polícia dos bons costumes e boas práticas apareça. Porque essa sempre aparece.

Às várias meninas que participaram da discussão no Instagram essa manhã, espero ter lavado a alma de vocês. Vocês, queridas, são DEMAIS. #tamojunto

Beijocas,

Ise.

POSTAGENS RELACIONADAS

Arquivo24
Ensaio Gestante
September 26, 2017
sintomas gravidez
10 sintomas estranhos na gravidez
May 21, 2017
10 dias após a cirurgia
Hipotireoidismo e gravidez: um desabafo
April 01, 2017
meme4
Muita sinusite para uma pessoa tão pequena
March 19, 2017
choro
10 motivos legítimos para uma grávida chorar
February 15, 2017
feminismo
Empatia
December 17, 2016
antes do atraso
Grávida de novo!
November 19, 2016
ensaiofamilia8
Porque quero ter mais filhos
August 11, 2016
amamentacao
Curso Avançado em Amamentação
July 19, 2016

4 Comentários

Livia Rodrigues
Responder 23 de fevereiro de 2017

Hahaha!!! Sensacional!!
Parabéns, adorei o post, apesar de concordar em partes e já me sentir culpada!!!

Juliana Reis
Responder 13 de dezembro de 2016

Caramba... "gravidez é pior q doença"??? Deve ter sido realmente punk pra vcs. Eu só tive muita azia a partir do sexto mês. Muita mesmo. Demais. De ter q dormir sentada. De tomar um vidro de Milantra Plus por semana. Mas não considero e não vejo as coisas assim. Pelo menos essa foi a minha experiência. Tenho uma prima q teve Hiperêmese gravídica e sofreu muito. Mas no caso dela foi uma doença mesmo... Bom, de qq forma, melhoras a todas às gravidinhas...

Cibele
Responder 12 de dezembro de 2016

Não poderia me identificar mais, é exatamente isso, fico impressionada como as mulheres não comentam o mal estar da gravidez. Antes de engravidar sabia apenas do enjoo, mas tive mil outras coisas. Hoje faço questão de comentar tudo que passei para todas as minhas amigas que ainda não ficaram grávidas. E isso porque tive uma gravidez ótima do ponto de vista médico, tudo que senti era "normal". Imagine quem tem problemas ... E o marido que é louco para ter outro filho, mas que vivenciou tudo comigo, quando comento que talvez queira engravidar novamente, ele sempre pergunta: "tem certeza que quer passar por tudo aquilo de novo? vamos adotar".

Francine
Responder 10 de dezembro de 2016

Tô aliviada por saber que não é só eu q passa por isso, que escuta "gravidez nao é doença" e concordo plenamente que Gravidez é pior que doença, parabéns pelo texto sincero.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com "*"