Hidratação/umectação express


Eu sempre achei que Deus tinha dado cabelos lisos para a pessoa certa: eu não acordo mais cedo para arrumar cabelo DE JEITO NENHUM, eu lavo e fujo de salão. Eu nem sei fazer escova, não tenho nem os apetrechos em casa. Secador só uso se estiver nevando e eu precisar dormir. Meu cabelo está invariavelmente preso no rabo de cavalo no calor e solto no frio. Eu sempre gostei dele, mas sempre gostei especialmente do fato dele não me dar trabalho. Eu só fui entender o trabalho que cabelo dava conforme fui crescendo e fui vendo tudo o que as minhas amigas faziam – e que eu nem tinha ideia do que era.

E não achem que meu cabelo estava especialmente arrumado porque eu estava maquiada. Nessa foto, em que eu estou levantando num domingo de manhã depois de uma noite cheia de amamentação quando a Catarina nem tinha 3 meses dá para ver que ele não está muito diferente:

liso3

 

E aí que eu fui mãe de uma menina cheia de cachinhos e logo percebi que as técnicas para deixar o meu cabelo bonito não funcionavam com ela. Nem conto para vocês como aprendi, obviamente da pior maneira, que cabelo cacheado não se penteia a seco. HAHAHAHA coitada da minha filha.

Eu não estou falando aqui de grandes penteados. Eu JAMAIS vou acordar minha filha 1 minuto mais cedo do que o horário dela para fazer penteado. Ela é criança e precisa estar confortável, não quero definitivamente que ela internalize a máxima “mulher tem que sofrer para ficar bonita” porque isso, além de ser mentira, é muito machista. Eu quero que a minha filha aprenda a amar os cachos dela, que não dependa de chapinha, alisamento e que possa dormir tranquila sem ser escrava de acordar mais cedo para fazer escova. Eu estou falando de técnicas (simples) para destacar os cachinhos, mantê-los hidratados e minimamente moldadinhos. Se ela estiver em casa, eu prendo com um prendedor bem molinho. Se formos sair, coloco um laço para a “franja” – que não existe – não cair no olho e atrapalhar a brincadeira. SÓ.

Então, há mais ou menos um ano, eu comecei a frequentar uns grupos de cabelos no Facebook. Low poo, no poo (VIDA para quem tem cabelo cacheado!!!!) e grupos de rotinas saudáveis, adulto e infantil. Honestamente, não estudo a fundo. Leio uma coisa ou outra e vou aprendendo algo, mas estou longe de ser expert. Bem longe. Por isso, faço as técnicas meio que “adaptadas”, conforme o que eu tenho e o que eu sei e posso garantir – ficou superfácil cuidar do cabelinho da Cata.

cachos

As dicas deram tão certo para o cabelinho dela que comecei a prestar mais atenção nas dicas para o meu. Explico: estou num momento muito difícil com meu cabelo. Um dos principais sintomas do hipotireoidismo  é o ressecamento do cabelo. E como meu hipotireoidismo está totalmente descontrolado há meses, meu cabelo está um horror. Até arrumado ele fica hiper-ressecado e as luzes velhas obviamente não ajudam. Nem preso dá para disfarçar. Não posso tingir ou meter uma progressiva nele por causa da gravidez (e nem tão cedo, por causa da amamentação)…enfim, estou num mato meio sem cachorro.

Vale uma observação aqui: eu sou decepcionadíssima com produtos caros para os cabelos. Sei lá, acho que meu cabelo é de pobre hahahahaha Usei produtos carésimos, importados e profissionais por muito tempo até que um dia precisei tomar um banho na minha mãe e usei um shampoo de mercado que tinha lá…e meu cabelo ficou MIL VEZES MELHOR. E uma coisa que me chama muito a atenção nos grupos das meninas que sacam muito de cuidados com cabelos é que os melhores produtos são todos baratex. Hoje eu li um post que até me fez rir: “A máscara tal da Monange é tão boa que eu pagaria até 10 reais nela se precisasse”.

Enfim, comecei a comprar os produtos que elas indicavam (são muitos, mas é sussa de comprar porque eles são bem mais baratos mesmo que os regulares…por exemplo…paguei 7 reais num potão de creme de tratamento da Kanechom!) e percebi que eram todos bem melhores para o meu cabelo do que os produtos que eu estava usando. E aí comecei a ver a quantidade de tratamentos caseiros que elas fazem, as fotos com os resultados e fui ficando curiosa.

Eu não sou muito de receitas caseiras, nunca fui. Sempre preferi meus potes de creme. Mas quando a gente está no desespero, né? HAHAHAHA

Perguntei para o Gustavo se tínhamos maionese e ele disse que sim. Avisei que ia passar maionese no cabelo e, claro, ele me olhou meio torto, meio rindo, mas não disse nada. Aí fui pesquisar os cronogramas capilares (eu jamais teria a disciplina necessária para fazer, mas para quem tiver, recomendo demais!!!! Se eu que faço tudo errado consigo resultados espetaculares, imagina quem faz certinho!) e entendi que a maionese era para hidratação, mas meu cabelo precisava de umectação/nutrição.

Vai achando que é fácil.

Só que eu não tinha as coisas para fazer uma receita de umectação. Sempre me faltavam um ou dois ingredientes. Me enchi e resolvi voltar para a maionese (hidratação) com azeite de oliva (umectação), afinal…pior do que está não fica, né?

Duas colheres de sopa de maionese (qualquer marca) + 2 colheres de sopa de azeite de oliva extra-virgem (acidez máxima 0.5)

Passei no cabelo e coloquei a touca de alumínio por 1h. Tem gente que dorme com as gororobas no cabelo e tals, mas eu mal consigo dormir com a barriga desse tamanho.

cachos2

Menosprezei o cheiro da gororoba. Em alguns sites, recomendavam 2 colheres de creme de tratamento para resolver o problema, mas achei que era melhor lavar bem depois.

No banho, passei shampoo na raiz (a minha é mega oleosa), deixei escorrer bem no cabelo para ir limpando sem esfregar e condicionador no comprimento para ajudar a tirar a maionese com o azeite (não sai só com água não hahahahaha).  Quando tinha bem pouco gororoba no meu cabelo, passei o creme de tratamento e deixei uns 3 minutos (o tempo de lavar o cabelo da Catarina – usei o Kanechom mix de frutas).

Pronto. Não sequei com secador, não passei finalizador, nada de nada. Porque as coisas na minha vida precisam ser simples, fáceis e poderosas.

AMEI o resultado. Meu cabelo está super baixinho, macio, parecendo saudável e  (ufa!) com cheiro de creme. Pretendo repetir nos próximos dias, para dar uma tratada mesmo.

Mais alguém arrisca a experiência para me contar como foi? =)

Espero que curtam a dica. Eu estou feliz da vida!

Obs.: Meu cabelo amanheceu pesado, oleoso. Lavei de novo e voilà =) Meu cabelo é muito fino, difícil alguma coisa não pesar…

POSTAGENS RELACIONADAS

10 dias após a cirurgia
Hipotireoidismo e gravidez: um desabafo
April 01, 2017
tireoide
Tratamento do câncer de tireóide – Fase 2: a iodoterapia
November 30, 2015
018
Tratamento do câncer de tireóide – fase 1: Tireoidectomia total
October 29, 2015

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com "*"