Por que gorda incomoda tanto?


Eu sempre me faço essa pergunta. Não tenho a menor dúvida de que incomodamos DEMAIS as pessoas e nunca entendi o porquê. Parece que as pessoas olham para a gente e só veem gordura, não conseguem enxergar um palmo além disso.

Há uns 2 meses fui a um otorrino por indicação da minha médica, a que cuida do meu câncer de tireoide. Um exame acusava que eu tinha algum foco de infecção no corpo e ela logo me perguntou se eu tinha sinusite. Na real, difícil é achar uma criança que nasceu e cresceu em São Paulo que não tenha…rs Expliquei a ela que minhas crises alérgicas melhoraram muito depois que casei (meus pais fumam e eu sou alérgica ao cigarro) mas que mudanças bruscas de tempo ainda me fazem estrago ocasionalmente. Enfim, ela apostou na sinusite e pediu que eu fosse a um otorrino para que ele checasse, me desse a medicação correta de forma que pudéssemos refazer o exame, com sinusite já descartada.

Entrei no consultório (estava com mais de 90 kg na época), o médico me olhou de cima abaixo e a primeira pergunta que me fez foi:

-Como é a sua alimentação?

Oi? Isso não está acontecendo de verdade, né?

-Normal. – respondi querendo encerrar o assunto.

-Precisa ver isso aí…porque comer muito desequilibra o corpo inteiro…

Um MÉDICO me olhou e partiu do pressuposto de que eu sou gorda porque como muito. Isso vindo de gente leiga até dá para respirar fundo e relevar, mas um MÉDICO? Na hora me lembrei dos pediatras que indicam fórmula (na mamadeira!) para o fim da licença materna. Se tem médico que faz um absurdo desses, por que não teria médico me diagnosticando só com o olho (e o preconceito)?

Eu tenho preguiça de ficar explicando que tive câncer de tireóide, que tomei hormônio para engravidar quando já tinha o câncer e não sabia etc E eu não acho que eu PRECISE explicar para as pessoas porque eu sou/estou gorda. Encurtei a consulta o máximo possível – até porque o médico tinha diagnosticado com o olho que eu não tinha sinusite, era tudo gripe….rs (óbvio que a minha médica me mandou para outro otorrino! hahahaha)

Enfim, esse episódio foi muito marcante para mim porque ele disse em voz alta o que as pessoas pensam ou dizem pelas costas.

Infelizmente, não é só ele. Qualquer pessoa que esteja “acima do peso” (o que é “peso ideal”?), logo tem o prato espiado (e posteriormente comentado) pela PPG, a patrulha dos pratos dos gordos. E o mais surreal é que as pessoas acham que a gente não percebe. Já vi tanta gente “entendendo” porque eu era gorda já que resolvi repetir o sorvete num domingo de lazer…

gorda

Eu sou uma pessoa mega fresca para comer, sempre fui. Não gosto de muita coisa e não faço a mínima questão de comer frutas e verduras. Por isso, as pessoas partem sempre do pressuposto de que eu como “mal”, normalmente baseando-se na minha alimentação do momento de lazer, sem conhecer a minha rotina. Isso também é muito chato, mas já desisti de explicar as coisas. Não tenho obrigação. Deixe que pensem o que quiserem…

E a história das “caminhadas”? A maior crueldade que você pode fazer com um gordo é dar a dica de “começar pelas caminhadas”. Primeiro, você pressupõe que todo gordo queira, necessariamente, ser magro – o que não é verdade at all. Depois porque você dá uma PÉSSIMA dica do ponto de vista funcional: caminhada é um PÉSSIMO exercício para gordo, supondo que ele queira fazer exercícios. Primeiro porque tem um puta desgaste das articulações, segundo porque é um exercício que queima pouquíssimas calorias. Em resumo, é muito esforço para nada. Supondo que o gordo em questão esteja com um condicionamento físico ruim – o que também nem sempre é verdade – ele vai cansar muito e sentir dores por nada, na prática. Não tem coisa pior para quem quer emagrecer do que se esforçar e não ver nenhum resultado. É quando a gente se sente no auge do fracasso e joga a coisa toda para o alto. Existem uma série de atividades muito mais adequadas para quem precisa perder muito peso. Não banque o especialista.

E por que eu coloquei “gorda” no título do texto? Porque a gordura feminina é IMPERDOÁVEL. Eu já tomei lição de moral de gordo (mas que por ser homem passa isento dos julgamentos…), que acho que nem tinha ideia de que era gordo também. Muitas vezes ainda o gordo passa de “gordinho”, “engraçado”, “fofinho” mas a mulher não tem boi. Ela é diariamente massacrada, seja pelas roupas GG das lojas que serviriam um manequim M muito bem, seja pelas amigas magras reclamando que “estão gordas” (Sério, não seja essa pessoa!). O tempo todo, todo mundo te lembra que você está INADEQUADA.

E o pior é que TUDO ISSO vem disfarçado de preocupação. “Só estou preocupada com a sua saúde. É porque gosto de você…” Miga, eu com mais de 90 kg tinha colesterol 140. E você?

Essa ideia que se criou que todo gordo é desleixado ou doente é insana. Paira uma espécie de senso comum por aí que diz que só é gordo quem quer, basta ter força de vontade para comer “bem” e se exercitar. Isso não só não é verdade como é de uma ignorância absurda. As pessoas são gordas por vários motivos que vão desde problemas emocionais, passando por problemas fisiológicos como problemas hormonais ou problemas com o cortisol, até por doenças como diabetes e síndromes metabólicas ou uso de medicação. É ridículo que as pessoas passem as outras pela sua régua, tomando o seu metabolismo como padrão. É ignorância e crueldade.

Fora que as prioridades das pessoas são diferentes: eu, por exemplo, jamais abriria mão do meu tempo com a minha filha para fazer exercícios. É uma coisa minha. A minha prioridade é sempre ela. A infância dela nunca vai ser mais importante do que a minha postura ou a minha cinturinha. Tem gente que tem pavor puro de ser gordo e tem gente que não vê o menor problema. Acreditem, está cheio de mulher emponderada por aí que não está nem ligando para os quilos “a mais”.  Na sua régua, isso é inconcebível…mas na régua delas, faz todo o sentido: se amar, acima de tudo. Quem quiser emagrecer, ótimo. Quem não quiser, também. Que as pessoas possam escolher sem traumas o corpo que desejam, quando isso for possível.

AS PESSOAS NÃO SÃO IGUAIS!

Se, por algum motivo, você se encaixou nessas situações descritas acima, lamento informar, você é um gordofóbico. É preciso se informar. Em 2016, não há mais espaço para quem não desconstrói preconceitos.

Nunca ouviu falar de gordofobia?

Leia AQUI

Leia AQUI

e Leia AQUI

Mas não deixe de jeito nenhum de ler AQUI.

Quanto a mim, eu estou num processo de emagrecimento que começou quando achei (sem querer…definitivamente não estava procurando) uma academia ao lado de casa com uma proposta totalmente diferente do “correr na esteira” e “30 minutos de bicicleta”. Senti prazer no tipo de exercício e emagrecer virou consequência. Mais do que ficar magra, o que eu quero mesmo é me livrar de 3 antidepressivos que tomo e diminuir a minha dose de hormônio sintético da tireoide, que foi difícil de estabilizar pelo meu peso. Mas só topei fazer isso porque é uma proposta que não me faz escolher entre a minha filha e o exercício. Eu fico 30 minutos lá, o tempo normalmente que ela leva tomando banho e começando a jantar com o pai – já era parte da rotina muito antes de eu sair de casa nesse horário. Deu tudo certo e ponto! Na dieta, não passo vontade. Me adequei muito bem ao lowcarb e me permito sair toda vez que vale a pena – festa, evento social, vontades. Quem quiser acompanhar esse meu percurso, pode me seguir no Instagram =)

Ótima semana para vocês,

Ise.

imagem: Pixabay

POSTAGENS RELACIONADAS

10 dias após a cirurgia
Hipotireoidismo e gravidez: um desabafo
April 01, 2017
torta de liquidificador
Receita Lowcarb: torta de liquidificador
October 29, 2016
metrica
Perdi 18 cm de barriga em 1h30!
October 16, 2016
guacamole
Receita do melhor guacamole do mundo
September 20, 2016
maternidade
A busca eterna pelo equilíbro
July 14, 2016
depressão pós-parto
Sobre depressão pós-parto
January 28, 2016
tag
O transtorno de ansiedade generalizada e eu
January 05, 2016
2016
Retrospectiva 2015
December 26, 2015
tireoide
Tratamento do câncer de tireóide – Fase 2: a iodoterapia
November 30, 2015

1 Comentários

Bruna Francine
Responder 28 de setembro de 2016

Disse tudo e mais um pouco com esse texto, como é incrível esse preconceito que as pessoas tem com gordinhos, e como se não fossemos felizes assim. Eu sempre fui magrinha magrinha, e devido a problemas hormonais também, acabei engordando. E falam na minha cara! Se bem que prefiro os que falam porque tenho a oportunidade de rebater (quando vale a pena).
Incrível o post. E não precisamos dar satisfações a ninguém, precisamos apenas nos amar. Se quisermos emagrecer e estiver ao nosso alcance assim faremos, senão, que mal há em ser gordinha se nossa saúde está boa?

Beijos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com "*"