O que temos a aprender com os saltos de desenvolvimento infantil


Aurora andou muito irritada nesses últimos dias. Ela não quer mais ficar sentada, parada. Ela quer ver tudo e quer se movimentar, mas só sabe se arrastar de um jeito mais lento do que ela gostaria. Deve ser um mega exercício de paciência tentar ficar sentado e despencar ou tentar alcançar algo que você deseja muito e ter de fazer um esforço com todos os músculos do seu corpo para chegar lá. Ainda bem que a gente não se lembra disso!

Anteontem, entretanto,  ela começou a se firmar mais. Foi de repente, igualzinho ao problema que deu na câmera do meu celular semana passada: de manhã, funcionava. À tarde não. Aurora de manhã despencava, à tarde ficou sentada sem cair.

Eu fiquei emocionada assistindo à minha filha crescer e se superar. Descobri que pode ser o primeiro ou o décimo filho, vamos sempre ficar emocionados com suas conquistas. Eu, pelo menos. No final do dia, sou só uma pessoa extremamente emotiva e coruja.

Fiquei pensando no tanto que temos a aprender com a natureza das crianças. Eles caem e sempre levantam, simplesmente porque não resta outra opção. Não dá para se arrastar o resto da vida, precisa aprender a engatinhar, a ficar de pé, a andar, a correr. Vai doer. Vai exigir muito esforço. Você vai querer desistir. Mas, no final das contas, tudo que te resta é levantar e começar do zero. É ir dormir chorando e acordar como se nada tivesse acontecido, pronto para mais um dia. Pronto para uma oportunidade em branco.

Quando um bebê dá um salto de desenvolvimento, ele muda completamente suas estruturas: sono, fome, humor. A Aurora está dormindo muito mal esses dias – na verdade, não está dormindo nada. Ela chegou a passar dias inteiros acordada, sem uma sonequinha sequer. Ela não é de dormir de dia (ganhei na loteria: duas bebês que não dormem!), mas também não costuma passar o dia todo acordada. Já levantei minhas orelhas e comecei a prestar (mais) atenção ao seu comportamento. Seu padrão de mamadas também mudou: ela está com menos fome – o que é até meio incompatível com a época uma vez que bebês com 5 meses e meio custam ficar meio desesperados para começar a comer. Pois, pela primeira vez desde que nasceu, ela está fazendo intervalo de 3 horas nas mamadas do dia e chegou  afazer 7 horas de intervalo à noite. Está, notavelmente, com menos fome. E eu, que pratico livre demanda, respeito. Sabem no que ela gasta todos os minutos do dia dela? Tentando se levantar e engatinhar. É por isso que ela não quer dormir e não quer comer: todos os esforços dela estão focados nisso. Ela não quer perder tempo. E isso não é a Aurora enquanto indivíduo. É a natureza. A natureza a compele a se superar. A natureza a obriga a passar de fase e evoluir. A nós, pais, cabe compreender, apoiar, manter um espaço seguro e dar todas as condições de desenvolvimento. Oras, a criança está fazendo o maior esforço para ser mais independente enquanto filhote. Não serei eu que a manterei no colo ou na cadeira. Vai pro chão, filha! Eu confio na sua capacidade. Não precisa ter medo porque EU não tenho.

Nós não podemos passar as NOSSAS inseguranças para eles, não é?

As crianças nos lembram todos os dias de que a vida passa rápido e tudo muda num piscar de olhos. Elas nos lembram que alguns dias parecem infinitos, parece que duram anos…e que anos passam com a rapidez de dias. Essa pessoinha cheia de opinião aí do seu lado, um dia, há pouco tempo, já coube na sua barriga. Você reconhece seu bebê nela?

Tudo pode mudar de um dia para o outro. Para o bem e para o mal. Que saibamos aproveitar todas as pequenas coisas lindas que 2018 vai nos trazer, mas que lembremos da criança que cai e não desiste nunca em todos os momentos difíceis que fazem parte da vida.

Obrigada por terem estado ao meu lado por mais um ano. Por me lerem, por me escreverem, por acreditarem em mim e por compartilhar coisas tão íntimas comigo. Obrigada por se esforçarem tanto para criar um futuro melhor através da educação dos nossos filhos e que temos vitalidade para ver essa geração que sai do nosso esforço arrasando num mundo cheio de empatia, consideração e acolhimento.

Quando piscarmos, estaremos aqui esperando 2019. Porque o tempo é cruel com as mães. Bom, é cruel e amigo ao mesmo tempo porque todo mundo gosta de voltar a dormir igual a uma pessoa normal. =P

Voou. Passou tudo muito mais rápido do que eu gostaria.

Melhor a gente aproveitar a vida porque ela não desacelera.

Que vocês tenham o melhor ano de todos! Feliz 2018!

Ise

 

POSTAGENS RELACIONADAS

impossible
Feliz ANO NOVO!
December 31, 2015

1 Comentários

Marina
Responder 31 de dezembro de 2017

Lindo o texto, Tha!!!!
Feliz 2018! Que esse novo ano te traga muitas alegrias, saúde, amor e sucesso!
Família liiiinda e abençoada, parabéns!!!! ❤️

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com "*"